JANEIRO ROXO REFORÇA IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE PARA HANSENÍASE

27
313
Doença cercada de mitos e preconceitos, a hanseníase – ainda conhecida popularmente como lepra – tem em janeiro um mês dedicado à atenção para o tema e ao esclarecimento sobre sintomas, prevenção e tratamento. É o Janeiro Roxo. O objetivo é ampliar o conhecimento da população sobre a doença e reforçar a importância do diagnóstico precoce para evitar a ocorrência de incapacidades. A hanseníase tem cura e o tratamento está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).
Causada pela bactéria Micobacterium leprae, a hanseníase é uma doença infecciosa que afeta a pele e os nervos periféricos, em especial os dos olhos, braços, pernas, orelhas e nariz. A doença acomete homens e mulheres nas mais diversas idades, incluindo crianças. Tem progressão lenta e período de incubação prolongado, podendo durar anos. Se tratada precocemente e de forma adequada, o risco de incapacidades e sequelas é minimizado, levando à cura.
A coordenadora de Hanseníase da SES-MG, Marcela Lencine Ferraz, reforça que a presença de manchas associada à perda de sensibilidade na pele, além de alteração da função motora são os principais sintomas para a busca de um diagnóstico precoce para hanseníase. “Além disso, o contato próximo, como por exemplo, dentro da mesma residência, com pacientes diagnosticados com hanseníase também indica a necessidade de procurar o serviço de saúde para uma avaliação adequada”, explica.
A coordenadora ainda ressalta que não há motivos para estigmas e preconceito em relação à doença. “A pessoa com hanseníase já deixa de transmitir a doença logo após o início do tratamento. Assim, não há motivo nenhum para que ela deixe de conviver com familiares e amigos ou de fazer suas atividades normalmente”, esclarece Marcela.
– Diagnóstico e prevenção
O diagnóstico da hanseníase é essencialmente clínico e epidemiológico, realizado por meio de exame dermatológico e neurológico, com testes de sensibilidade. A hanseníase inicia-se, em geral, com manchas brancas, vermelhas ou marrons em qualquer parte do corpo, com alterações de sensibilidade à dor, ao tato e ao quente e ao frio. Podem aparecer também áreas dormentes, especialmente nas extremidades, como mãos, pernas, córneas, além de caroços, nódulos e entupimento nasal. Em caso de suspeita, a pessoa deve procurar uma unidade de saúde para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.
O tratamento está disponível pelo SUS, e é feito com medicamentos orais, durante 6 a 12 meses, dependendo da forma clínica. O paciente deve comparecer mensalmente ao serviço de saúde, para ser examinado, receber a medicação e orientações.
A principal forma de prevenção é o diagnóstico precoce, com início do tratamento. Iniciado o tratamento, a pessoa deixa de transmitir a doença.
(Via: Secretaria de Estado de Saúde)
JORNAL GAZETA DE NOVA SERRANA, NOTÍCIA E INFORMAÇÃO EM 1° LUGAR! PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP: (37)99972-8787

27 COMMENTS

  1. … [Trackback]

    […] Here you will find 71861 more Information to that Topic: maisgazeta.com/janeiro-roxo-reforca-importancia-do-diagnostico-precoce-para-hanseniase/ […]

  2. Nice post. I was checking constantly this blog and
    I am impressed! Extremely useful info specially the last part 🙂 I
    care for such info a lot. I was seeking this certain information for a very long time.
    Thank you and best of luck.

  3. I don’t even know how I ended up here, but I thought this post was great.

    I do not know who you are but certainly you’re going to a famous blogger if you aren’t already
    😉 Cheers!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here